domingo, 13 de julho de 2014

Sexo no vestiário do trabalho...

O que vou contar aqui é real, aconteceu quanto trabalhava em uma rede de supermercados na zona sul do Rio de Janeiro há alguns anos...Era meu 2º trabalho de carteira assinada, tinha 23 anos na época e estava muito empolgado com a proposta. Comecei a trabalhar no dia seguinte da minha contratação. Fui designado para atuar no setor de hortifrúti da empresa, onde só tinham homens trabalhando... Era uma equipe de 18 homens, entre 18 e 25 anos.A empresa tinha normas rígidas, todos tinham que usar uniformes, almoçar no refeitório da loja, apresentar-se para revista ao sair do local de trabalho. Por esse motivo havia 2 grandes vestiários (um masculino e outro feminino), com vários chuveiros e bancadas (como esses que vemos em filmes de futebol norte-americanos). Era uma algazarra a hora da troca de turnos, como mulheres e homens se alfinetando de flertando antes de entrarem para seus vestiários para se trocarem e irem embora... O volume de relacionamentos, sexo e outras coisas que existia na empresa entre seus funcionários eram grandes.Já estava enturmado com o grupo do meu setor, sempre fui assumido, e os garanhões da equipe toda hora achavam uma maneira de me sararem, passar a mão na minha bunda e fazer piadinhas sobre o que seus grandes membros fariam no meu rabo. Isso me deixava muito excitado... Não havia nenhum tipo de situação pejorativa, eles realmente se excitavam muito comigo e apostavam entre si quem seria o primeiro a me enrabar (isso fiquei sabendo algum tempo de pois).Existia um setor na loja que contratava jovens aprendizes, entre 16 e 21 anos de idade. Estavam selecionando novos aprendizes que ficariam assessorando a frente de caixa e os demais setores da loja, abastecendo e recolhendo mercadorias que os clientes levavam ao caixa e desistiam de comprar. Foi nesse período que conheci 3 carinhas super gostosos e muito sacanas que me faziam delirar quando transavamos. Vou contar pra vocês como começou essa putaria...Certo dia entramos no vestiário para tomarmos banho e trocarmos de roupas para irmos embora... Ficava muito acanhado de tirar a roupa na frente de todos aqueles homens, sempre ficavam na expectativa de verem minha bunda e até tinham uns que ficavam bem perto de mim mexendo nos seus paus e dizendo: Não vai tirar essa calça não “novata”? Ficava com vergonha e dizia que estava procurando alguma coisa desconversando.Todos estavam nos chuveiros com aquelas bundas másculas viradas pra mim, era muito excitante, ficava de pau duro sempre vendo essa cena... Cada um com piroca maiores que as outras... Me sentava no banco do vestiário enrolado em minha toalha aguardando todos saírem para tomar meu banho... Nesse dia demoram muito para acabar, mas enfim saíram e deixaram o vestiário todo só pra mim. Fui fechar a porta para não ser incomodado e para minha surpresa esbarrei com o Adalberto, um carinha franzino, nos seus 18 anos de idade, com um rosto lindo e um olha malicioso que me deixava com muito tesão. Ele já estava sem blusa e com sua toalha pendurada no ombro. Quando me viu ainda no vestiário deu um sorrisinho malicioso e perguntou: Tava me esperado putinha? Respondi sem pensar: Estava por quê? Ele deu uma gargalhada e entrou no vestiário. Fechei a porta e me dirigi para o chuveiro o deixando no meio do salão tirando o restante da roupa.Entrei no box ficando de costas para Adalberto, ele nem me olhava, na verdade me ignorava. Fiquei desapontado e continuei tomando meu banho. Virei para ver o que ele estava fazendo e me surpreendi quando ouvi o som do chuveiro ao lado do meu, ele estava no box ao lado e depois que nos falamos ao entrar no vestiário não trocamos mais nenhuma palavra um com o outro. Pensei: que pena estava muito a fim de chupar aquela pica hoje.Adalberto era franzino, mas tinha a maior piroca dentre os homens que trabalhavam naquela loja, era motivo de piadinhas entre os caras. Diziam que ele tinha 3 pernas, que era aleijado e que nenhuma mulher iria dar a buceta pra ele pra ficar arrombada como se tivesse parido um bebe. E realmente nunca vimos eles com nenhuma garota, na verdade ele ficava até muito tímido ao lado de uma.Continuei a me ensaboar quando virei e me deparo com Adalberto na minha frente segurando aquele membro enorme já duro como pedra e todo molhadinho. Ele olhava minha bunda como se estivesse olhando uma coisa que desejava muito. Olhei para ele e disse: O que você quer Adalberto? Ele perguntou: Vc trancou a porta do vestiário? Eu respondi: Vc sabe que sim, não gosto de ser incomodado quando estou tomando banho. Ele retrucou: Ainda bem, não quero ser incomodado também. E me puxou para perto dele mordendo meu mamilo e dizendo ao pé do meu ouvido: Fica de joelho e cai de boca na minha pica viado safado. Isso me deixou com mais tesão do que já estava, não pude resistir e fiz com meu macho me ordenou, ajoelhei e comecei a chupar aquela pica de 25 cm como se fosse um picolé de doce de leite.Adalberto estava em êxtase, virava os olhos e gemia baixinho forçando minha cabeça para abocanhar aquele caralho imenso. Consegui colocar na boca a metade, mas ele não se dava por satisfeito e dizia: Engole tudo sua puta safada, engole! Tentei mas não dava... Ele estava com muito tesão, parecia que não fodia a semanas. Me puxou pra cima e me deu um beijo chupando minha língua com um animal, mordeu meu peito e me deu um chupão no pescoço que ficou roxo, na hora nem liguei. Eu segurava aquele mastro com toda a força e ele dizia: Aperta essa piroca, safada. É assim que eu gosto. Ele me virou, pediu para empinar minha bunda e começou a fazer o melhor cunete que já recebi na minha vida... Mordia meu cú, enfiava o dedo e a língua ao mesmo tempo, lambia minha bunda e mordia minhas nádegas enquanto enfiava um, dois, três dedos no meu rabo. Começou a roçar aquela vara no meu rabo e a se debruçar sobre mim dizendo que iria me enrabar ali mesmo. Fiquei com medo, já tinha mantido relações com homens de mastros grandes, mas o do Adalberto era enorme, acho mesmo que nenhuma mulher queira dar pra ele. Foi então que a confirmação veio, quando ele no auge do seu tesão disse: Caralho! Tô querendo te fuder a muito tempo sua puta. Já não consigo dormir sem antes bater uma bronha pensando nesse rabo grade e gostoso. Não fodo mulher desde meus 16 anos elas não me aguentam e fico puto e acabam não saindo com nenhuma, só querem gastar minha grana e dá que é bom nada. Fiquei surpreso com a revelação dele e mais preocupado ainda com o que viria pela frente (aquele cara estava com muito tesão reprimido e iria me dividir ao meio com aquele mastro imenso). Ele percebeu meu receio e ao invés de me acalmar me deixou mais tenso ainda dizendo: É isso mesmo viadinho tu vai ter que me aguentar, tô guardando essa pica pra vc há muito tempo e agora vc não vai correr mesmo. Dá mais uma chupada vai! Dizendo isso ele empurrou minha cabeça pra baixo e me deixou de joelhos mais uma vez. Mas dessa vez socava a pica na minha boca sem dó nem piedade, eu engasgava e ficava sem conseguir respirar, chorava (as lágrimas saiam dos meus olhos continuamente). Isso o excitava muito e ele gemia de prazer. Ele me levantou e me virou de costas, segurou minha cintura fazendo minha bunda empinar e posicionou aquela cabeça de cogumelo vermelha na porta do meu rabo. Eu o segurei e coloque a mão o impedindo de enfiar aquele mastro na minha bunda. Adalberto se enfureceu, puxou meu cabelo me empresou contra a parede do box e disse: O que foi viado vai ficar de amarração agora, tu não queria pica? Agora vai ter que aguentar. Eu retruquei: Quero sim, mas assim vc vai me machucar... Cadê a camisinha? E ele respondeu com sangue nos olhos: Camisinha é o caralho, quero sentir esse cu quentinho no meu pau... Tu acha mermo que tem camisinha que entra nesse pau. Ele lambeu meu rosto como um bicho e segurando meu braço nas costas disse: Agora tira a mão desse cú e relaxa que não tem volta, tu vai me dar essa bunda gostoso e pode gritar que ninguém vai te ouvir mesmo.Fiquei impressionado com Adalberto, ele era tão magrinho, mas tinha uma força sobrenatural. Me fez ficar com mais tesão ainda... Empinei meu rabo e senti aquela cabeça enorme entrar no meu cu (o pau do cara além de grande era grosso pra caralho, cheio de veias e no formato de um foguete – cabeça mais fina e o corpo ira engrossando até chegar na base que não conseguir fechar minha mão). Ai ele disse: Pronto a cabecinha já entrou falta pouco agora! Ele foi forçando o resto do pau no meu cu e eu gemendo de dor e tesão ao mesmo tempo. Ele se debruçava sobre mim e dizia: Quer que pare sua puta safada? E eu respondia: Não enfia tudo, tá uma delicia! Isso o deixava louco ele empurrava a pica e eu gritava ele empurrava e eu gritava, até que conseguiu atolar tudo no meu cú. Ele parou e ficou olhando impressionado aquele mastro inteiro dentro de mim, sentia o seu saco bater no meus. Ai ele disse: Puta que pariu é a primeira vez que consigo meter meu pau todo em alguém, nunca mulher ou viado algum aguentou ele todo, nem a metade. Isso me deu uma sensação de realização e ele num misto de tesão e surpresa beijava minhas costas e dizia: Caralho quero comer esse cú todo dia agora, tu deixa? Eu concordava.Ele começou um vai e vem com toda a força, gostava de me ver sofrer... A dor era muita, mas o tesão também. Meu pau estava duro como pedra e babava de tesão. Sentia a pica do Adalberto bater na parede da minha barriga, era enorme. Ele parou e disse: Agora vou tirar tudo e meter de novo pra ver o estrago que fiz nesse rabo. E assim o fez. Tirou aquela piroca do meu cú que saiu cheia de sangue. Ele delirou de tesão quando viu e disse: Puta que pariu tu era virgem viado, tirei seu cabaço caralho!? E enfiou tudo de novo de uma vez só sem nem me avisar. Dei um pulo pra frente e ele me segurou com força dizendo: Não foge não bichinha, vai ter que me aguentar.Ficamos uns 20 minutos nesse vai e vem frenético, ele tirando e metendo o pau todo na minha bunda a toda hora e puxando meu cabelo me chamando de sua putinha gostosa e dizendo que iria me comer daquele jeito todo dia agora.  Não aguentei de tesão e gozei sem nem tocar punheta. Ele percebendo que tinha gozado anunciou... Caralho que tesão, gozou putinha? Agora é minha vez! Toma leite nesse cú sua safada toma! Senti uns 4 jatos fortes de porra dentro de mim... Ele tirou a pica do meu cú toda lambuzada de porra e com ainda um pouco de sangue e me virou de frente e disse agora chupa e deixa ela limpa porra! Assim o fiz, me ajoelhei e chupei aquele caralho todo, ainda estava saindo porra daquela cabeça que latejava como um coração e estava toda roxa. Que delicia!Ficamos assim por alguns minutos, eu de joelhos lambendo aquele mastro ainda duro olhando para ele e Adalberto me olhando e mordendo os lábios de tesão. Aquela piroca não amolecia... Ele me levantou ficou me encarando, me deu um beijo forte e disse: Agora vc é minha putinha, esse cú é todo meu e de mais ninguém. Vamos pra minha casa agora continuar a brincadeira, ainda quero comer esse rabo pelo menos mais uma vez. Concordei na hora, claro... Terminamos o banho nos vestimos e fomos para casa dele... Mas isso é outra história.


Encarando Dois Dotados

video

Seguidor Dotado







Seguidor Dotado